OS OITO REMÉDIOS NATURAIS – PARTE 2.

Ar puro, esse é o segundo remédio natural na escala de assuntos. Sabemos que somos capazes de sobreviver algum tempo sem algumas coisas (como por exemplo: a comida), mas bem sabemos que se ficarmos sem o ar, sem a respiração – mesmo que seja por alguns aparentemente poucos minutos -, podemos colher sérias consequências do fato de não respirarmos.

Além da necessidade do ar, não basta apenas existir o ar em si. É preciso que possamos respirar o que chamamos de ar puro. Ao botarmos o ar impuro pra dentro do nosso corpo, prejudicamos o nosso organismo e permitimos que ele seja contaminado com toxinas ou com o que quer mais que esse próprio ar traga consigo pra dentro do nosso corpo. O perigo de respirar um ar impuro, pode ocasionar coisas como o próprio câncer de pulmão (no caso de fumantes passivos).

Nós, pessoas, temos o dever de cuidar do nosso corpo. Ao menos é o que a Bíblia nos ensina. E o que ela nos mostra também, é que o Próprio Cristo fazia questão de estar com Deus no meio da natureza. Cristo sabia a importância da respiração, assim como sabia que essa respiração deveria vir acompanhada do ar puro. Tanto é, que vemos registrado nas Saradas Escrituras o seguinte verso:

Mateus 14: 23 E quando Ele despediu as multidões, Ele subiu a montanha sozinho a fim de orar. Agora quando a tardinha veio, ele estava lá só.

Percebemos que nesse verso, mostra Cristo indo pra um local a fim de orar, correto? Mas percebemos também, qual local era esse: uma montanha. Coincidência?

Uma forma muito bacana de consumir ar puro, é fazendo exercícios físicos ou caminhadas na natureza. Ao passo em que nos exercitamos, temos a oportunidade de entre árvores, ou à beira do mar, respirar um ar de qualidade – longe de qualquer tipo de poluição. Os exercícios físicos, ainda, ajudam não só no controle das emoções (proporcionando uma sensação de relaxamento), mas nos ajudam também a controlar a forma com que respiramos.

Muitas coisas agregam pra que respiremos de forma errada; Ansiedade, medo, estresse… Esses são fatores culminantes pra que obtenhamos um habito errôneo ao respirar. Devemos ter a capacidade de controlar a nossa respiração, e os exercícios físicos ajudarão a determos mais calma, paciência, tranquilidade, entre outras coisas. E por consequência, seremos capazes de estar doutos a termos uma forma de respirar de modo que nos beneficie. 

O ato de respirar rápido demais, ajuda a comprimir cada vez mais os pulmões. Uma vez compressos, os pulmões passam a ter uma menor capacidade de absorver o ar – o que nos torna, por exemplo, menos resistentes e mais propensos a sentir dores. Passamos assim a respirar cada vez mais rápido, até que acabamos por perceber que temos completa falta de calma. E o resultado? Dores de cabeça, tonturas, falta de concentração… 

Por que não fazer o caminho inverso? Aconselho que você, meu caro leitor, procure fazer caminhada diariamente (mas de forma moderada, não por um longo tempo), e que busque passar a controlar a sua respiração. Faça como muitos médicos nos pedem: respire fundo e solte o ar bem devagar. Ao passo em que formos exercitando essa prática, seremos capazes de inspirar mais, ter mais resistência (principalmente às doenças), nos livrar de forma melhor das tensões e consequentemente ficar mais relaxados.

Só o fato de respirar não é algo que deve ser levado em conta, mas o tipo de ar que respiramos e como respiramo-o também deve ser observado – uma vez que afeta no nosso emocional e na nossa saúde. Busque sempre controlar a sua respiração, e tenha assim uma vida bem mais saudável e em comunhão maior com o nosso Pai celeste. 

Por: Jhonatan Campos da Rocha.

Com quem se envolver?

José Mateus

www.reavivamentos.com

  1. Deveríamos estar tão envolvidos segurando nossa vida em Deus quanto uma senhora se envolve a segurar o seu vestido quando o vento quer fazer das suas. Não vemos a senhora tentar segurar o vento, mas, segurar seu vestido – segurar aquilo que pode e tem. Do mesmo modo, os crentes deveriam segurar o que têm em sua vida em vez de tentarem parar o diabo. “Mas o que tendes, retende-o até que eu venha”, 2:25.
  1. Será que a luta contra o pecado é coisa muito complicada para si ainda? A serpente ainda é seu inimigo difícil? Isso deve-se ao facto de Jesus não ser facilmente seu amigo. Se Cristo for facilmente o seu amigo, será fácil vencer o diabo. Se Jesus for um amigo difícil para si, o diabo dificilmente será vencido. Trabalhe para Jesus ser seu melhor amigo, muito íntimo e próximo.
  1. Não acreditar em mentiras é fé. Atreva-se a ser descrente quando as mentiras se aproximam para tentar. Quem descrê da mentira, facilmente consegue crer na verdade.

 Texto encontrado em: http://verboeterno.wordpress.com/